Salame Duzu (Edição Especial) – Salumeria Mayer – 170g

R$47,00

Em estoque

Descrição

Conheça o Salame Duzu da Salumeria Mayer

Salame com queijo!? 🧀 Sim!! O Salame Duzu é o novo salame da Salumeria Mayer.

O Salame Duzu é uma Edição Especial da Salumeria Mayer e faz parte de uma parceria entre eles e a Bela Fazenda, produtora de queijos artesanais da região de Bofete (interior de SP).

Este salame é produzido com o famoso queijo Duzu da Bela Fazenda, um queijo azul de sabor intenso e extremamente saboroso.

Com textura amanteigada, o Salame Duzu apresenta a característica distinta dos dois ingredientes que se unem de forma única e harmônica.

A fusão perfeita entre os sabores das duas maturações (queijo + salame).

O Salame Duzu vem em peças de aproximadamente 170g embaladas à vácuo.

Como consumir o seu Salame Duzu?

O Salame Duzu é um embutido de sabor complexo e intenso. A sua intensidade e suas texturas contrastantes abrem um leque gigante para utilizar ele de diversas maneiras.

Ele é perfeito para ser usado em tábuas de aperitivos, com queijos, nozes e azeitonas. Fica perfeito in natura também fatiado sempre em finas fatias.

Ele pode ser utilizado também como recheio de pizzas, sanduíches e diversos outros usos.

Para vinhos prefira os espumantes, onde a acidez ajude a quebrar e suavizar a gordura e o sal. Caso prefira tintos, o Pinot Noir é uma ótima opção que balanceia bem com carnes curadas.

Como armazenar o Salame Duzu?

O Salame Duzu deve ser armazenado refrigerado em sua geladeira.

Por ser um produto maturado, ele pode ser consumido normalmente após aberto. Para isso, basta guardar o salame embalado em papel plástico (Magipack, por exemplo) retirando todo o ar da embalagem para que o produto não resseque.

Validade aproximada de aproximadamente 3 meses.

O que é charcutaria?

Os processos e técnicas de charcutaria utilizadas hoje em dia foram, em sua essência, desenvolvidos e criados em uma época a qual não existia refrigeração.

Portanto, surgiu da necessidade de conservação do excedente de carne em tempos de escassez e foram essenciais para o desenvolvimento da humanidade como conhecemos.

Hoje, todos esses processos e técnicas milenares, associados as confirmações científicas de cada etapa, se traduzem em um produto mais saboroso e seguro para o consumo.

A palavra Charcutaria vem do século XV na França quando as pessoas utilizavam todos os restos de carne para que nada sobrasse. Esta carne então era colocada em preservação pelo processo de cura e então transformada em salsichas ou carnes dry-meat. Naquela época, pela falta de refrigeração, o sal, o vinagre e a fumaça eram essenciais para o processo de preservação.

O termo Charcutaria deriva de 2 palavras francesas: Chair  que significa carne e Cuit que significa cozinhada.

Diversas lojas e mercados especializados já existem a décadas na Europa e vem crescendo em todo mundo com receitas inovadoras e deliciosas!

Para conhecer mais sobre a história, clique aqui.

Quem é o produtor por trás do Salame de Pistache?

Com mais de 15 anos de experiência na produção artesanal caseira e aperfeiçoamento de suas técnicas, que foram inspiradas em diversas escolas de charcuteiras do mundo, Rudolph e Milena criaram a Salumeria Mayer.

Com o desejo de construir um legado, algo verdadeiro que pudesse ser repassado para futuras gerações da família, a Salumeria Mayer percorre seu caminho ajudando o movimento de ressurgimento das micro salumerias no país. Para que estas possam também criar sua história e sigam caminho autênticos neste mercado.

A Salumeria Mayer prioriza a produção de salames e embutidos nobres que vão mudar o seu conceito sobre estes tipos de produto.

Hoje são considerados um dos maiores e mais habilidosos produtores de charcutaria do Brasil com sabores clássicos e sazonais de identidade própria.

Se não conhece ainda, não deixe de conhecer!

Você também pode gostar de…