Cachaça Ouro – Engenho Fazenda Velha – 670ml

R$59,90

Em estoque

SKU: 2.2.000294.01 Categorias: ,

Descrição

Conheça a Cachaça Ouro do Engenho Fazenda Velha

A Cachaça Ouro do Engenho Fazenda Velha tem 670ml é produzida através de um blend. Envelhecida por oito anos em barris de carvalho e jequitibá. Leve, possui graduação alcoólica de 39%.

É um blend de cachaças envelhecidas 8 anos em barris de Carvalho Americano e Jequitibá Rosa, cujo processo confere na taça uma coloração amarelo âmbar, límpida, brilhante e com ótimo corpo. No nariz pouco álcool, prevalecendo aromas complexos e adocicados, com notas muito sutís de mel e frutas secas.

Com baixíssima acidez, a sensação na boca é de uma cachaça ouro macia e suave de sabor adocicado e retro-gosto persistente e agradável das madeiras. Uma excelente cachaça ideal para os iniciantes nas degustações.

Como armazenar a Cachaça Ouro do Engenho Fazenda Velha?

Em comparação com outras bebidas alcoólicas, a cachaça ouro é bem fácil de ser armazenada, podendo ser guardada por até 20 anos. Então, para conservar uma cachaça que ainda não foi aberta, é preciso prestar atenção em três coisas: a temperatura, a umidade e a iluminação.

Em primeiro lugar, precisamos nos atentar a temperatura do ambiente. O ideal é que ela fique guardada em um lugar com clima ameno, que sofra poucos picos de temperatura. Em segundo lugar, é fundamental que o local de armazenamento tenha pouca umidade. Por isso, não é indicado que a cachaça ouro seja armazenada em geladeira ou próxima de fontes de calor.

Por fim, também é essencial evitar expor a cachaça ouro à luz direta, seja ela artificial ou natural. Assim, os melhores lugares para armazenar essa bebida são:

• Armários
• Despensas
• Barzinho
• Adegas

Depois de aberta, além dos cuidados já mencionados, é preciso prestar atenção à vedação da garrafa. Por isso, a escolha da tampa é essencial para manter a integridade do produto.

Embora grande parte das cachaças tenham tampas com rosca e almofada no fundo, algumas marcas ainda usam as tampas de metal convencionais. Então, a melhor forma de armazenar a cachaça é investindo em tampas ou rolhas mais eficientes.

As mais indicadas são a rolha sintética e a rolha de silicone. Caso você não pretenda guardar a cachaça por muito tempo, você poderá usar rolhas de cortiça. Porém, com o tempo, ela tende a esfarelar e sujar a bebida.

Em contrapartida, se você pretende armazenar sua cachaça ouro por um longo período, o ideal é que você invista em uma bomba de vácuo para vinho. Esse acessório serve para retirar o ar de dentro da garrafa. Assim, a oxidação será mínima.

Por fim, o recipiente ideal para armazenar a cachaça ouro é o vidro, pois ele não altera o seu sabor. Além disso, não é preciso guardá-la em nenhuma posição específica.

Como harmonizar a Cachaça Ouro do Engenho Fazenda Velha?

As Cachaças Envelhecidas como a Cachaça Ouro possuem uma complexidade sensorial incrível e a harmonização sai melhor com alimentos mais calóricos e carnes vermelhas.

As Cachaças Ouro, também conhecidas como “amarelinha” são Cachaças puras que passam pelo processo de envelhecimento, seja em barris ou dornas. Entretanto nem todas cachaças envelhecidas são amarelas, algumas madeiras são consideradas neutras e quase não passam cor, aromas e sabores para a bebida. O processo de envelhecimento faz com que a Cachaça adquira propriedades sensoriais aromas e gostos a bebida.

Por isso, algumas cachaças ouro podem vir a ter um maior nível de acidez, o sabor mais marcante, fazendo com que se torne perfeito a harmonização com pratos com sabores mais fortes, alimentos mais gordurosos sem que a Cachaça seja dominada pelo sabor do prato.

A recomendação é que a Cachaça Ouro seja degustada em temperatura ambiente para melhor equilibrar com os pratos seguintes:

  • Churrascos, Grelhados, fígado acebolado com jiló;
  •  Carnes de Cordeiro;
  •  Feijoadas;
  •  Mandioca frita e frango a passarinho;
  •  Fondue de carne.

Para queijos indicamos os seguintes:

A história da Cachaça

Quando pensamos em Cachaça, automaticamente nos lembramos dos livros de história, em que vemos os escravizados nas grandes moendas, retirando o suco proveniente da cana-de-açúcar. Portanto, pensar em cachaça é pensar, também, na história do Brasil.

A cultura da cana-de-açúcar foi iniciada no período da colonização brasileira por volta de 1532. Os escravos participavam da criação do açúcar, e o processo se baseava em moer a cana, ferver o caldo obtido, e, em seguida, deixá-lo esfriar em formas, obtendo assim a rapadura. No entanto, algumas vezes, o caldo fermentava, originando um produto denominado cagaça que era colocado para os animais. Mais tarde, os senhores de engenho começaram a dar esse caldo aos escravos, e, então, a cachaça nasceu.

Com o decorrer do tempo, a bebida foi sendo aperfeiçoada, passando a ser filtrada, e depois destilada. Atualmente o processo de fermentação é feito com produtos denominados enzimas, mas existem ainda produções artesanais que utilizam o fubá de milho no processo da fermentação.

A cachaça sempre foi considerada uma bebida popular, e por conta disso, ficou sendo reconhecida como um produto de má qualidade. E quando ela começou a se destacar por entre as classes sociais mais altas no século XIX e início do século XX, iniciou-se um movimento contra esta bebida, tentando afirmar a cultura européia no Brasil. Apenas em 1922, durante a Semana de Arte Moderna, foi que a cachaça foi colocada em merecido lugar de destaque, associando-a a um produto genuinamente brasileira, e, portanto, símbolo da nossa identidade verde e amarela. Desde então, a cachaça ficou conhecida como referência do país em todo o mundo.

A cachaça é a primeira bebida destilada mais consumida no país e a terceira mais consumida no mundo. De acordo com o Programa Brasileiro de Desenvolvimento da Aguardente, Caninha ou Cachaça (PBDAC), a produção total é de por volta 1,3 bilhões de litros por ano, sendo que 75% fazem parte da produção industrial e 25% da produção artesanal.

Portanto, essa bebida que tem gosto de história, e faz, sim, parte da constituição da nossa identidade nacional e, por esse motivo é tão importante não só economicamente, mas também em nossa essência brasileira. E viva a Cachaça!

Para conhecer mais a história da Cachaça Ouro e desta bebida, acesse o link aqui.

Lembre-se, por ser uma bebida alcoólica é necessário consumir com moderação.

Quem produz a Cachaça Ouro?

De um sonho da família Polacchini, a Cachaça Engenho Fazenda Velha se tornou realidade após anos de planejamento e muita mão de obra para desenvolver o sabor perfeito de uma verdadeira cachaça.

Sua fundação se deu em meados de 2010, onde o Senhor Polacchini junto com seus três filhos, iniciaram estudos e pesquisas na fazenda da família. Uniram tecnologia e equipamentos de alta qualidade para atender todo o mercado nacional

Desde sua fundação até os dias atuais a Cachaça Engenho Fazenda Velha mantém sua tradição em desenvolver sabores premiados e reconhecidos por toda nossa região.

O Engenho Fazenda Velha está localizado em Nova Odessa, interior de São Paulo. Ele possuem sua própria plantação de cana de acúcar, produção que é sustentável quanto a utilização do bagaço de cana na caldeira e todos os resíduos da produção. 

As cachaças do Engenho Fazenda Velha foram premiadas diversas vezes!

Para conhecer todos os produtos da Engenho Fazenda Velha como a cachaça ouro, acesse este link.

Você também pode gostar de…